O Senhor do Tempo

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
” (Ec 3.1-2)

O Senhor predetermina, em sua soberania e poder, todas as acontecimentos em nossa vida. Deus não está sujeito ao tempo, por ser eterno, senhor e criador do mesmo. No entanto, age através dele em nossa vida. 1

Jeová trabalha na eternidade com perfeição e suas perspectivas sobre o tempo se diferenciam das do homem. O ser humano não é capaz de O compreender em sua plenitude, o que deve despertar seu temor pelo Senhor. 2

Deus disse a Abraão e Sara que os dariam um filho. Porém, devido ás circunstâncias naturais (velhice) e já ter se passado anos desta promessa, ambos acordaram em Abraão engravidar a escrava Agar. 3

Então nasceu Ismael, fruto do relacionamento extraconjugal de Abraão com Agar. Abraão necessitou abandonar Agar com Ismael devido aos conflitos familiares que se iniciaram logo após a gravidez de Agar, e se intensificaram com a chegada de Isaac (filho da promessa). 4

A urgência de Abraão e Sara terem um filho não alterou o propósito de Deus. O agir fora da vontade do Senhor originou  sérias consequências não apenas para este casal, mas a todos seus descendentes. Pois, a descendência de Ismael se tornou inimiga da descendência de Isaac. 5


“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.” (Fp 4.6)


A vida é composta por  combinações de tempos e estações, onde surgem situações antagônicas e complexas, que exigem sabedoria  para que sejam administradas. 6

O homem usa o tempo como um parâmetro existencial, do qual esta sujeito. O tempo e as mudanças podem fugir do controle humano, o que pode gerar angústias e o conduzir a agir com falta de sabedoria.

No entanto, os propósitos de Deus são mais importantes que o tempo que calculamos. O tempo d’Ele é perfeito, pois devido suas onisciência e insondável sabedoria, conhece o momento exato no qual deve agir para nos abençoar e para que Seu nome seja exaltado. 7


“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada.” (Tg 1.5)


Apesar de Ismael ter nascido de um relacionamento fora do propósito de Deus, e por isso, não participar da mesma herança que foi destinado á Isaac, foi abençoado muitíssimo devido a imensa graça e amor divino. 8

A história da descendência de Abraão ilustra que a plenitude das bênçãos de Deus é alcançada mediante a obediência á Palavra, incluindo aceitar o cumprimento dos propósitos do Senhor e no tempo no qual Ele determina. 9

O tempo do cumprimento das promessas divinas é o momento do servo do Senhor se preparar para as receberem de forma plena.

Permita que Deus seja o único Senhor de seu tempo!


“Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no Senhor.” (Sl 27.14)


A paz do Senhor!

 

Referências:

 

  1. Gn 1.3-5; Ec 3; Is 38.8; Rm 16.26
  2. Ec 3.14; 2Pe 3.8
  3. Gn 16.1-4; 17.2; 18.11-14
  4. Gn 16.4; 16.15; Hb 11.11
  5. Gn 21.2; Sl 83
  6. Ec 3
  7. Jó 42.2; Jo 11.1-45
  8. Gn 16.8-12; Gl 4.28-29
  9. Sl 1; Rm 4.16-17; Hb 11.11
FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *