O Pecado Alheio

“E rogou-lhe um dos fariseus que comesse com ele; e, entrando em casa do fariseu, assentou-se à mesa.

E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento;

E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos com os cabelos da sua cabeça; e beijava-lhe os pés, e ungia-lhos com o ungüento.
Quando isto viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora.” .” (Lc 7.36-39)


O fariseu não falou para alguém ouvir, mas consigo mesmo. Jesus reagiu da seguinte forma:


“E respondendo, Jesus disse-lhe: Simão, uma coisa tenho a dizer-te. E ele disse: Dize-a, Mestre.
Um certo credor tinha dois devedores: um devia-lhe quinhentos dinheiros, e outro cinqüenta.
E, não tendo eles com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Dize, pois, qual deles o amará mais?
E Simão, respondendo, disse: Tenho para mim que é aquele a quem mais perdoou. E ele lhe disse: Julgaste bem.

E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés com lágrimas, e os enxugou com os cabelos de sua cabeça.
Não me deste ósculo, mas esta, desde que entrou, não tem cessado de me beijar os pés.
Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta ungiu-me os pés com ungüento.
Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama.

E disse-lhe a ela: Os teus pecados te são perdoados.

E os que estavam à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este, que até perdoa pecados?
E disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.” (Lc 7.40-50)

Portanto, Jesus respondeu a acusação que o fariseu fez á mulher contando uma história na qual o credor simboliza  Deus e o devedor, uma pessoa pecadora. Em seguida, mencionou o comportamento da mulher.

A prostração e as lágrimas dela foi indício de real arrependimento perante os erros que cometeu durante a vida. O beijo é um tipo de cumprimento, que além de demonstrar afetividade, pode indicar comunhão espiritual. ¹

O unguento era um óleo sagrado usado para unção. Na época de Cristo, pessoas que poderiam recebe-la eram : profetas, reis e sacerdotes. ²

Quando o convidado tinha seus pés lavados pelo dono da casa, o dono estava dizendo que era servo do convidado. O convidado não seria apenas um visitante da casa, ele seria um hóspede. Logo, enquanto um religioso e conhecedor das leis judaicas recebeu Jesus como um simples visitante em casa, a “pecadora” disse através de sua atitude:

– Senhor,  te adoro, sou tua serva , desejo ter comunhão contigo e O convido para ser hóspede, sacerdote, rei e profeta no meu lar.

Atitudes tais, que um fariseu menosprezou. Logo, a motivação por receber Jesus na própria casa não era devido á santidade de Cristo, ainda que O chamasse de Mestre e conhecesse sua fama. Mais sim, para de alguma forma ganhar proveito da presença Dele. ³

Na atualidade, é difícil encontrar alguém que se auto denominam servo do Senhor para ganhar benefícios financeiros, sociais e políticos na sociedade?


A mulher não foi muito amada por haver pecado muito, mais devido ao arrependido sinceramente dos pecados que cometeu e por ter buscado em Jesus a redenção dos mesmos. Logo, Jesus muito a amou.

Entretanto, quando Jesus perdoa pouco é porque a pessoa não se arrependeu de todos os pecados cometidos. Causando insatisfação em Cristo. Portanto, Ele pouco amará.


Um representante religioso não reconheceu a divindade de Jesus. Entretanto, uma pessoa mencionada não pelo próprio nome, mas “apontada” pelo pecado, despiu-se de qualquer orgulho ao entrar na casa de um fariseu, sem ser convidada, e se humilhar aos pés de Jesus. Logo, foi exaltada e muito amada por Ele.

Deixando-nos mais um excelente exemplo de que a salvação não está na religião, mas em uma vida resgatada por Jesus Cristo através da fé nEle e conversão de atitude diante do pecado.


A história mencionada nos ensina, inclusive, que quando estamos preocupados com os pecados alheios, Jesus coloca um “espelho” em nossa frente para nos mostrar os nossos próprios.

Os seus pecados, Jesus vai tratar como você, já o alheio, será tratado com o “dono” do mesmo. Pois enquanto o fariseu, ainda que consigo mesmo, lembrou da iniquidade da mulher, Jesus diretamente o relatou o que ela de bom fez e comparou com que ele deixou de fazer.

A mulher poderia até imaginar que fosse mal julgada pelo fariseu, mas a acusação não foi dita para que ela tivesse conhecimento. Portanto, nós não necessariamente teremos o conhecimento do motivo da repreensão que alguém recebeu de Deus, mesmo que ela seja devido á alguma falta cometida contra nós.


 

Não nos enganemos, “… todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.” (Rm 3.23-24)



A Paz do Senhor Jesus!


Referências:

  1. Ex 4.27;18.7; 1Re 19.18; Rm 16.16; 1Co 16.20; 2Co 13.10-11; 1Ts 5.26; 1Pe 5.15
  2. http://biblia.com.br/dicionario-biblico/u/unguento/
  3. Lc 7.36
FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

3 comentários sobre “O Pecado Alheio”

  1. “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (FP. 4:13)
    O poder e a graça de Cristo permanece no crente para capacitá-lo a fazer tudo quanto Ele mandou-o fazer.

    E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados. (MC 11:25)
    Embora o perdão Divino seja concedido ao pecador arrependido, é também, ao mesmo tempo condicionado conforme a capacidade do indivíduo de perdoar ao seu próximo. Por isso, uma pessoa pode ficar sem perdão Divino por ter um coração cheio de amargura,que não perdoa ao próximo.

    1. Certamente, Amado irmão Gilmar!

      Jesus falou:

      “… se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;
      Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.” (Mt 6.14-15)

      A Paz!

  2. É verdade, “para quem iremos nós? Se só tu Senhor tem as palavras de vida eterna”.
    Precisamos estar aos pés do Senhor para que nossos olhos possam ver quão grande salvação ele tem nos dado…

    Obrigado Jesus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *