Não Perca Sua Oportunidade

“E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus.
E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas.

E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho.

Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.

Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser.” (Jo 2.1-5)

 “Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima.

E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram.

E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo,
E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.

Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os Seus discípulos creram nele.” (Jo 2.7-11)


 

Maria, mãe de Jesus (Lc 1.27), notando a escassez do vinho na festa, o que poderia causar constrangimento ao noivo perante os convidados, pediu á Jesus que resolvesse o problema. Entretanto, não desejando  se manifestar publicamente naquele momento, Jesus disse “…Ainda não é chegada a minha hora.” (Jo 2.1-5). Ou seja:

– Eu tenho o momento certo para agir, e não é agora.

Jesus providenciou o milagre apenas quando a capacidade humana de sanar o problema se esgotou. Ensinando-nos que Jesus, mesmo que seja o Todo Poderoso (Ap 1.1-13) na forma humana (Jo 1.14), deseja que dentro da nossa capacidade, devemos agir em prol da solução dos problemas que á nós são apresentados, desde que não venhamos á pecar; e quer inclusive, que sejamos co-participantes nas operações de Seu poder na vida das pessoas.

Neste caso, a cooperação foi a intercessão pela resolução do problema (falta de vinho), junto á Jesus precedida por Maria, seguida pela obediência dos serventes da festa ás palavras de Jesus. Á princípio, o noivo não soubera da atitude de Maria e dos referidos serventes. Portanto, podemos e devemos interceder em oração á Deus por uma pessoa, menos que ela não tenha conhecimento disto; que Ele atenderá ao nosso pedido, caso a fizermos com fé  (Mt 21.22).


Ouvir discursos bem feitos e fazer estudos minuciosos sobre passagens bíblicas, seminários, palestras, congressos e cursos teológicos; além da ampla divulgação e facilidade de acesso à Palavra de Deus que exitem através dos variados meios de comunicação; seguramente podem capacitar a pessoa a divulgá-la de forma mais clara, objetiva e aprofundada.  No entanto, ainda que haja variados recursos de acesso à Palavra, é possível que servos do Senhor ainda encontrem-se intimidados á anunciá-la.

Logo, o que aprender com Maria já que naquela época, obviamente, não existiam as diversas facilidades que hoje estão disponíveis para nos capacitar a anunciar os ensinos Divinos?

Maria era humilde serva de Deus, O temia, era grata e obediente á Ele (Lc 1.38; Lc 1.46-50). Ela foi prudente ao guardar e examinar os assuntos espirituais que ouvia á respeito do que os homens falaram (Lc 2.19), ao que Jesus ainda menino falou (Lc 2.49-51) e ao que o anjo Gabriel falou-lhe ( Lc 1.26). Maria, á princípio, desconhecendo a natureza divina do anjo, pediu-lhe uma prova do que ele dissera (Lc 1.34) e  se apressou para testificar se as mensagens por ele transmitidas eram verdadeiras ou não (Lc 1.39-40).

Todas as características acima mencionadas da personalidade de Maria, somada á sua intimidade com Cristo, capacitou-a á compreender a mensagem Dele (em Jo 2.1-5). Logo, ela fez o que estava “ao seu alcance”: mobilizou os serventes da festa á cumprir ás ordens de Jesus. Logo, como humilde discípula de Cristo, ainda que Sua genitora, pregou a obediência ao Senhor com uma frase curta, simples e completa de significado:Fazei tudo quanto ele vos disser “.

Portanto, Maria não perdeu a oportunidade que Jesus ofereceu-lhe de servi-lO . Naquele momento, ela doutrinou os serventes da festa a se tornarem verdadeiros discípulos de Cristo, agindo em obediência ás palavras do Senhor. Como resultado, obtiveram o privilégio de vivenciarem a primeira manifestação pública do poder de Jesus; e como conseqüência, Seus discípulos creram Nele e o noivo não sofreu o constrangimento que a falta do vinho na festa o causaria perante seus convidados.

O intuito de Jesus foi, inclusive, de nos incentivar a anunciarmos os Seus ensinos quando surgir oportunidade para tal, com os  recursos que possuímos no momento, ainda que sejam simples. Nosso recurso pode ser: uma frase, um louvor, uma oração, um bom testemunho de vida, um email…


Irmãos em Cristo, assim como a serva Maria, não orientem os obreiros do Senhor á serem dependentes do que vocês tem a oferecer-lhes espiritualmente. Direcione-os á obedecerem e serem dependentes do Senhor Jesus!

Pois, todos nós somos humanos. Portanto, falíveis e mortais. Entretanto, a palavra ensinada por Jesus é baseada na Sagrada Escritura, conduz á salvação (2Tm 3.15),  é eterna (1Pe1.25),  viva, eficaz e apta para discernir a natureza dos pensamentos (Hb 4.12) e  “… divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” (2Tm 3.16-17)

Outro importante ensino que esta mensagem nos proporciona é: uma pessoa antes de orientar espiritualmente discípulos do Senhor, deve basicamente ser um discípulo humilde, fiel, obediente e íntimo de Jesus. E, mesmo que alguém algum dia se torne um “líder espiritual”, ou obtenha algum dom do Espírito Santo; a glória, o louvor e a honra da manifestação do poder Divino é sempre de Deus (Jo 2.11) e nunca de ser humano algum.

 

Palavras de Jesus: “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.” (Jo 15.14-15)

 

Sejamos amigos do Senhor Jesus!

O que está ao nosso alcance para anunciar o Evangelho de Cristo?

Que não percamos as nossas oportunidades!

A paz do Senhor!

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

2 comentários sobre “Não Perca Sua Oportunidade”

  1. Que nossa busca diária por intimidade nos leve a convidar nosso Senhor Jesus Cristo ao nosso convívio, assim como os noivos que só vivenciaram o milagre porque o convidaram a festejar com eles, nós possamos sempre buscar essa comunhão. Mesmo que pequena o Senhor espera e se alegra com nossa participação, o que nos mostra um pouco mais o quão generoso Ele é.

    1. Irmã Carla, obrigada pelo comentário!
      Ainda que nos julguemos estar dispostos e capacitados a fazer algo para anunciar o reino de Deus, ou mesmo busquemos praticar cotidianamente Seus ensinos em nossa vida, nunca devemos nos esquecer que quem nos capacita á tudo é Ele (Jo 15.5).
      Quando possuímos comunhão com Jesus e cumprirmos Seus ensinos, todo o pedido que fizermos á Deus Pai em nome de Jesus (Jo 14.13), será atendido (Jo 15.7).

      A Paz do Senhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *