Comunhão Além das Fronteiras

Após a conquista da terra de Canaã, Josué elogiou as tribos dos rubenitas, gaditas e a meia tribo de Manassés por sua obediência. Em seguida, liberou-as para casa com sua benção e as admoestaram a servirem lealmente ao Senhor, cultivando o amor espiritual e constância na palavra de Deus. ¹

E, chegando eles aos limites do Jordão, ainda na terra de Canaã, ali os filhos de Rúben, e os filhos de Gade, e a meia tribo de Manassés edificaram um altar junto ao Jordão, um altar de grande aparência.” (Js 22.10)

“Ouvindo isso os filhos de Israel, reuniu-se toda a congregação dos filhos de Israel em Siló, para saírem em guerra contra eles.” (Js 22.12)

Então, o sacerdote Finéias (autoridade espiritual) e embaixadores de cada família de Israel foram enviados para lhe dizerem: ²

“Assim diz toda a congregação do Senhor: Que transgressão é esta, que cometestes contra o Deus de Israel, deixando hoje de seguir ao Senhor, edificando-vos um altar, para vos rebelardes contra o Senhor?” (Js 22.16)

A acusação de rebeldia foi recebida com seriedade pelos acusados, porém a sua prática foi negada. Cientes da onisciência divina, como um tipo de juramento, responderam ás tribos de Israel : ³

Se nós edificamos um altar para nos desviarmos do Senhor, ou para sobre ele oferecer holocausto e oferta de alimentos, ou sobre ele apresentar oferta pacífica, o Senhor mesmo de nós o requeira. (Js 22.23)

Em comum acordo e união, edificaram um altar ao Senhor com o seguinte intuito: 4

“… para que, entre nós e vós, e entre as nossas gerações depois de nós, nos seja em testemunho, para podermos fazer o serviço do Senhor diante dele com os nossos holocaustos, e com os nossos sacrifícios, e com as nossas ofertas pacíficas; para que vossos filhos não digam amanhã a nossos filhos: Não tendes parte no Senhor.” (Js 22.27)

E, acrescentou:

“Nunca tal nos aconteça que nos rebelemos contra o Senhor, ou que hoje nós abandonássemos o Senhor, edificando altar para holocausto, oferta de alimentos ou sacrifício, fora do altar do Senhor nosso Deus, que está perante o seu tabernáculo.” (Js 22.29)

A resposta agradou os filhos de Israel. Logo, todos se reconciliaram. 5

E os filhos de Rúben e os filhos de Gade deram ao altar o nome de Ede; para que seja testemunho entre nós que o Senhor é Deus.” (Js 22.33-34)

O altar não foi levantado para ser rival ao verdadeiro altar construído em Siló. Ele foi erguido para servir de memória ás gerações seguintes da comunhão entre todo o Israel e Deus, instruindo-as corretamente á honrar ao Senhor, com temor, reverência e lealdade. 6

Apesar da construção do altar ter sido entendida dentro do contexto do ensinamento da lei, justificando a declaração de guerra por parte de Israel contra os rubenitas, gaditas e a meia tribo de Manassés, a preocupação com a apostasia era tão grande que o conduziu á agir precipitadamente. Pois, a lei também prescrevia uma investigação minuciosa antes que fossem tomadas medidas disciplinares. 7

Este episódio serve para alertar sobre a importância da comunhão, respeito e bom diálogo entre o povo de Deus, principalmente mediante situação de conflito, além da observância e zelo á palavra do Senhor. Finalizada a explicação, o nome do Senhor foi exaltado e a aliança entre o povo e Deus refeita.

As fronteiras geográficas foram e são sobrepujadas pelo Deus único e verdadeiro. Logo, sob a promessa divina, os filhos de Abraão com sua esposa ( todo o Israel) constituíram um povo unido em defesa da santidade em toda a congregação. 8

A comunhão é uma das origens da benção divina na congregação e a harmonia fraternal que a santifica. Esta comunhão pode ser aniquilada pela apostasia e rebelião contra Deus. Portanto, seus servos devem zelar por viver e anunciar seu evangelho em verdade. 9

A congregação do Senhor (ou igreja) está espalhada em toda a terra. Quando possuímos comunhão com Jesus, somos feitos filhos de Deus e descendência de Abraão. Logo, herdeiros da promessa da vida eterna através de Cristo e um só corpo nEle. 10

Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor.” (1Co 1.9)

A paz do Senhor!

 

Referência:

  1. Js 22.1-5; 22.9
  2. Js 22.14
  3. Js 22.22
  4. Js 22.26
  5. Js 22.33
  6. Dt 6.7
  7. Lv 17.8-9; Dt 12;13.12-14
  8. Jr 23.23; Rm 3.30; 1Tm 2.25
  9. Sl 133; Mt 18.19-20; 2 Ts 2.3-4
  10. 1CO 12.12-13; 19-20; Gl 3.25-19; Ef 4.25; 1Jo 2.15; 5.11
FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *