A Sede do Senhor

Jesus partiu de Judéia para a Galiéia. Porém, era necessário passar por Samaria. Em uma cidade de Samaria chamada Sicar, cansado do caminho, Jesus se assentou junto ao poço construído por Jacó, quase ao meio-dia 1.

 “Veio uma mulher de Samaria tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.
Porque os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida.

Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos).
Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.” (Jo 4.7-10)

O dom de Deus é a vida eterna doada por Ele, pela graça, por intermédio de Jesus Cristo, á todos que, pela fé, recebem á Jesus como Senhor de suas vidas 2. Portanto, neste contexto, a água viva mencionada por Cristo é a vida eterna.

A forma humilde de como Jesus se direcionou á ela, demonstrando necessidade de algo que ela poderia supri-lO 3, somado a forma educada que lhe respondera, a mulher tratou-o de maneira mais respeitosa e atenciosa, dizendo:

“Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva?
És tu maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, bebendo ele próprio dele, e os seus filhos, e o seu gado?” 
(Jo 4.11-12)

Ela não compreendeu  que Jesus estava falando de assunto espirituais.

 “Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede;
Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.”
 (Jo 4.13-14)

A água natural que a mulher buscava no poço não supriria além das necessidades temporárias do ser humano. No entanto, a bebida espiritual que Jesus mencionou (a água viva), só Ele poderia oferecê-la 4. E, esta bebida conduz á quem O pede uma vida eterna vigorosa e abundante.

 “ Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la.

Disse-lhe Jesus: Vai, chama o teu marido, e vem cá.

A mulher respondeu, e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não tenho marido;
Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.

Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta.” (Jo 4.15-19)

            A mulher, sem entender exatamente do que Jesus falara,  aceitou o que Ele a ofereceu. Portanto, antes de permitir que ela usufruísse do dom gratuito de Deus (a vida eterna), Jesus disse que a vida amorosa dela deveria ser prontamente transformada. Pois, ela teve cinco matrimônios e, no momento, vivenciava uma relação amorosa que não possuía aprovação de Deus. Além de não ter negado as próprias falhas, ela começou a falar-Lhe de assuntos espirituais também, visto que O reconhecera como profeta de Deus:

 “ Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar.

Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.” (Jo 4.20-21)

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.

Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” (Jo 4.23-24)

Espírito é a parte imaterial que dá vida ao corpo. E, tanto um quanto o outro pertencem á Deus 5. Deus soprou do próprio fôlego o espírito nas narinas do ser humano quando o formou, selando Sua identidade e comunhão espiritual conosco 6. Entretanto, quando pecamos, morremos espiritualmente. Mas, após estarmos em Cristo Jesus, nosso espírito é novamente vivificado, voltando á ter comunhão com Deus 7.

É através do espírito que temos a capacidade de compreensão. E, quando nos permitimos ser guiados pelo Espírito de Deus, Ele testifica em nosso próprio que somos filhos de Deus e nos conduz a vida eterna 8.

Adorar é amar com veneração,  honra, se prostrar, glorificar. Jesus respondeu á samaritana que o local de adoração á Deus é irrelevante. Pois, a adoração deve ser realizada segundo a natureza de Deus. Pois, sendo Ele espírito, devemos adorá-lO em espírito. E,  como a verdade está associada á Jesus Cristo 9 e o amor entre Jesus e Deus Pai não podem ser separados 10, os verdadeiros adoradores amam á Deus acima de todas as coisas, em toda sinceridade, temor, intensidade, entendimento, obediência, reverência, honra através de Jesus Cristo11.


“A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo.

Jesus disse-lhe: Eu o sou, eu que falo contigo.

E nisto vieram os seus discípulos, e maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher; todavia nenhum lhe disse: Que perguntas? ou: Por que falas com ela?” (Jo 4.25-27)

Quando Jesus se apresentou como o Messias e a samaritana avistou os Seus discípulos, deixou para trás o cântaro, objeto para armazenar a água que pegaria do poço, que representava a sua antiga forma de viver, buscando saciar suas carências em relacionamentos amorosos. No entanto, quando teve o encontro com o sétimo homem de sua vida ( o numero sete significa a perfeição), descobriu  o seu primeiro amor em Cristo Jesus , que é único que poderia saciar todas suas necessidades, tanto terrenas, quanto espirituais 12.

Logo, “… foi à cidade, e disse àqueles homens: Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Porventura não é este o Cristo? Saíram, pois, da cidade, e foram ter com ele.

E entretanto os seus discípulos lhe rogaram, dizendo: Rabi, come.

Ele, porém, lhes disse: Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis.” (Jo 4.29-32)

Jesus estava esperando a mulher voltar com as pessoas que Ele pediu que a mesma trouxesse.

“Então os discípulos diziam uns aos outros: Trouxe-lhe, porventura, alguém algo de comer?
Jesus disse-lhes: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e realizar a sua obra.” (Jo 4.33-34)

Jesus usou elementos terrenos, comparando-os com os espirituais, para transmitir  Sua mensagem aos seus discípulos:

 “Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa.” (Jo 4.35)

Neste contexto, pode-se dizer que a ceifa é o trabalho de evangelização destinado aos seus discípulos e os filhos de Deus são as terras prontas para a ceifa.

“E o que ceifa recebe galardão, e ajunta fruto para a vida eterna; para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem.” (Jo 4.36)

Desnecessário é haver disputas entre os discípulos de Jesus quanto ao serviço que cada um exerça no reino de Deus. Pois, todos receberão seu devido galardão na vida eterna.  Inclusive, havendo comunhão em Cristo, todos que trabalham para o reino, o fazem com único propósito. E, além de uma função não ser mais importante, não há auto suficiência humana, porque além de uma ser o complemento de outra, é Deus quem permite o crescimento de toda obra 13.

 “Porque nisto é verdadeiro o ditado, que um é o que semeia, e outro o que ceifa.
Eu vos enviei a ceifar onde vós não trabalhastes; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho.

E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher, que testificou: Disse-me tudo quanto tenho feito.” (Jo 4.37-39)

Jesus plantou uma “semente” naquela mulher. E, prontamente, ela apressou-se em atender á uma necessidade dEle, saciando Sua sede espiritual 14 ao semear mais adiante o anúncio da vinda do Messias. Entretanto, Seus discípulos, que vivenciaram maiores experiências espirituais com  Ele, estavam preocupados com necessidades puramente terrenas e ainda, por questão cultural, menosprezaram a samaritana.

Inexiste qualquer registro bíblico sobre manifestações miraculosas realizadas por Cristo entre os samaritanos na passagem que acabamos de estudar. Entretanto, apenas por ouvir o relato da samaritana, foram ao encontro de Cristo e imploraram-Lhe que ficasse com eles 15.

“E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra.

E diziam à mulher: Já não é pelo teu dito que nós cremos; porque nós mesmos o temos ouvido, e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo.

E dois dias depois partiu dali, e foi para a Galiléia.” (Jo 4.41-43)

 

Portanto, era necessário Jesus passar pela cidade de Samaria, não apenas porque ela intermediava o caminho que deveria percorrer, mas sim, porque além de fazer a vontade de Deus Pai, buscava lá verdadeiros adoradores e os encontrou.

Naquele momento, além de não encontrar dentre Seus discípulos mais próximos, servos sensíveis á Sua necessidade de receber adoração, sabia que os mesmos, por questões culturais e religiosas, caso fossem anunciar o Messias para os samaritanos, a obra de evangelização não seria tão eficaz quanto ao exercido, mesmo que de forma muito simples, por aquela mulher.

Com conseguinte, Deus usa pessoas diferentes para que sua obra seja difundida em diferentes regiões e culturas.

 

O Senhor ainda nos chama:Dá-me de beber” (Jo 4.7)

“Dai ao Senhor a glória devida ao seu nome, adorai o Senhor na beleza da santidade.” (Sl 29.2)

 

A Paz do Senhor Jesus!

 

Referências:

  1. Jo 4.3-5
  2. Rm 6.23; Ef 2.8
  3. Jo 4.8
  4. 1 Co 10.4
  5. Tg 2.26; 1 Co 6.20
  6. Gn 1.26-27; Gn 2.7
  7. Ef 2
  8. Rm 8.14-16; Ef 1.13-14
  9. Jo 16.13-14
  10. Jo 14.21
  11. Mc 12.30; Ap 4.11; Jo 5.22-23; Mt 10.37
  12. Ap 2.4; Fp 4.19
  13. 1Co 3.7-9
  14. Dá-me de beber” (Jo 4.7)
  15. Jo 4.40
FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *