A Fonte da Felicidade

Felicidade, prosperidade, benções, quem não quer? O capítulo 1 do livro de Salmos diz:

“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.

Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.

Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.” (Sl 1.1-4)

No verscículo 1, relata gradualmente a degradação espiritual proveniente da associação com pessoas ímpias e a participação no seu comportamento malicioso e pecaminoso. Para alcançá-lo, o homem ouviu os conselhos do ímpio e os considerou. E, em seguida, sentiu-se ” atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado” (Tg 1.14-15)

Posicionando-se como pecador, o assentar na roda dos escarnecedores é questão de oportunidade. Esta atitude significa acomodar-se permanentemente entre pessoas que zombam, injuriam, corrompem-se e desejam o escárnio seja de pessoas ou de Deus. Porém, o escarnecedor não é necessariamente alguém que convive em ambientes onde hajam tais práticas pecaminosas. Mas sim, se sente seduzido em participar deste tipo de associação. Permitindo, por fim,  corromper-se ¹.

Antes de existir uma árvore, houve o cultivo de uma semente em solo para permitir o crescimento e amadurecimento desta planta. A semente representa a palavra de Deus, o solo o coração do homem e a água a Cristo 4. E, naturalmente, como qualquer árvore produz folhas que cairão, a mencionada no texto é diferenciada de todas as demais.

Portanto, este Salmo relata que quando o homem vive orientado na Lei do Senhor e possui mais prazer nela do que na vida de iniquidade, ele será julgado pela sociedade como alguém diferente. Pois, refletirá a glória de Jesus Cristo na própria vida, através da ação do Espírito Santo, produzindo em meio ás diversas situações, frutos do Espírito 5.

 “ Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” (Gl 5.22)

O referido homem será verdadeiramente feliz e próspero em todas as áreas da vida,  compreendendo os ensinos de Deus através de Jesus, que é a fonte de toda sabedoria, ciência e da vida eterna 6.

Diferentemente do homem que teme á Deus e segue Seu direcionamento, o ímpio é a símile da moinha que o vento espalha. Moinha são fragmentos de palha que estão em terra batida na qual secam e malham os cereais 7. Logo, a prosperidade e felicidades do ímpio são temporárias, instáveis e ilusórias.

Ímpias são pessoas que obram o mal, sensuais, murmuradores, arrogantes, admiram pessoas por interesse, convertem em algo indígno a graça de Deus, e podem ou não negar a existência de Deus ² . No entanto, quando reconhecem a existência de Deus, acreditam que Ele não observa suas iniquidades ³ . Entretanto…

“ Não erreis. Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna..” (Gl 6.7-8)

continuando a leitura do Salmo 1 …

“Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá.” (Sl 1.5-6)

Congregação dos justos é a reunião de pessoas que adoram á Deus no santuário, denominada no Novo Testamento como corpo de Cristo, ou igreja 8. Portanto, todo aquele que opta em viver na prática da iniquidade, afastando-se de Deus,  não será contabilizado entre os integrantes da igreja de Cristo Jesus. Com conseguinte, não serão herdeiros da promessa da salvação, recebendo punição eterna pelo Senhor 9.

Portanto, devemos nos aproximar de Deus através da santificação, arrependendo e abandonando a prática do pecado. Isto acontecerá á partir do momento que convertemos nossa vida á Jesus e O confessamos como único e suficiente Salvador. Esta conversão é demonstrada através da obediência aos ensinamentos dEle. Consequentemente,  nossas falhas serão justificadas em nome do Senhor Jesus,  pelo Espírito de Deus 10.

“O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniqüidade.” ( 2 Tm 2.19)

Pois, Jesus disse:

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” (Mt 7.19-23)

Logo, apartemos da iniquidade e rejeitemos todo evangelho que negocie nossa fé e prosperidade! Pois, a chave da verdadeira felicidade e plena prosperidade é a obediência á Palavra de Deus, dos quais a fonte é Jesus Cristo.

“Abstende-vos de toda a aparência do mal.
E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1Ts 5.22-23)

 

A Paz do Senhor!

 

Referência:

  1. Pv 1.22; Sl 79.1-4; At 23.35
  2. Pv 21.12; Jd 1.14; Jd 1.16
  3. Jd 1.4; Sl 94.3-23
  4. 1 Co 10.1-4
  5. Mt 13.3-9; 13.18-23; 2Co 3.18
  6. Jo 4.14; 6.55; Cl 2.2-3
  7. Dicionário da Bíblia de Almeida, 2ª edição, página 59.
  8. Sl 22.25; Jo 4.23-24; 1Co 12.27; 6.19
  9. Ap 20.11-15; Mt 3.12; Is 59.2-4
  10. 1Co 6.11; Hb 12.14; Tg 4.8-10; Mt 7.24-27; Rm 10.9-11

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *